sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Vicente Coda e a Paraphernália lançam single



Conheça o novo trabalho do poeta, artista plástico e músico VICENTE CODA...

Baixe gratuitamente o single clicando AQUI.


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Rubens Lisboa por tantas vozes


Se esse mundo fosse mais injusto e coubesse um adjetivo apenas ao seu novo trabalho, esse seria OUSADIA!, assim mesmo com exclamação e em negrito. Mas a realidade é outra e 'RUBENS LISBOA Por tantas vozes' merece todos os elogios possíveis. Adjetivos positivos para cada uma das 45 canções inéditas, interpretadas por diversos representantes da MPB nacional. De Elza Soares a Wado. De Leila Pinheiro a Márcia Castro.

Passeando por uma série de ritmos musicais, o compositor sergipano apresenta um resultado maduro e cheio de viço. Viço par aos dos que estão no começo da carreira, o que não é seu caso. Depois de 'Assim, meio de lua' (1998), 'Segundas intenções' (2001), 'Todas as tribos' (2007) e 'Arteiro', todos com produção independentes, seu novo rebento traz um brilho daqueles que só os apaixonados pelo que fazem conseguem imprimir em suas obras. E faz o mais difícil ainda: fazer-nos apaixonar por sua música.

Na entrevista concedida à Lojinha dos Discos, Rubens fala sobre todos os passos que levaram-no a esse portentoso e vigoroso trabalho. Fruto delicioso e cheio de sementes que hão de vingar.


Lojinha dos Discos - Revendo os seus trabalhos anteriores, o que permanece e o que muda na música de Rubens Lisboa?

Rubens Lisboa - Sinto que estou amadurecendo enquanto artista a cada novo trabalho e isso é muito bom porque consigo detectar coisas que antes passavam batidas. Permanece, antes de tudo, a vontade de ver minhas canções cada vez mais cantadas pelas pessoas, permanece um amor enorme pela música que é o que me faz continuar produzindo, ousando e insistindo em meio a tantas adversidades e permanece a questão da pluralidade em minha obra, vez que faço questão de transitar pelos mais diversos gêneros musicais. Muda talvez a forma inocente como eu via o meu trabalho no contexto de um mercado cada vez mais competitivo. Sei da necessidade de um aprimoramento constante e por isso continuo pesquisando e estudando incessantemente.


LdD - Tendo em vista o mercado musical nacional e, por conseguinte, no mercado local, é mais difícil começar ou continuar?

RL - É muito mais difícil continuar. Começar muita gente começa, mas ou acaba desistindo no meio do caminho ou enveredando por atalhos perigosíssimos. Hoje em dia é muito fácil gravar e lançar um CD. Chamar a atenção para um trabalho inicial também não é coisa complexa, mas manter uma carreira com lançamentos constantes e com repertórios inéditos, isso muito pouca gente consegue.


LdD - Quanto tempo desde a concepção, execução e finalização dos discos?

RL - Mais ou menos um ano e meio entre a remessa das canções para os artistas escolhidos e o término dos trabalhos da masterização que foi feita no Magic Master, no Rio de Janeiro, pelo competentíssimo Ricardo Garcia.


LdD - 45 canções inéditas?! De um universo de quantas?!! Qual o seu ritmo de composição? Existe alguma sistemática para escrever ou só quando bate a inspiração?

RL - Sim, são 45 canções inéditas neste novo projeto "Rubens Lisboa por Tantas Vozes" dentre umas 600 por mim já compostas, esperando para ganhar o mundo. Quando a inspiração vem, soprada pelos deuses da música, é só registrar as ideias referentes às letras e às melodias e depois desenvolver e concluir a canção. Mas algumas vezes, sento no chão e vou atrás da inspiração, chamo-a e ela sempre me responde.


LdD - Foi mais fácil reunir toda essa gente em torno de si do que conseguir patrocínio/apoio para lançar o disco em Aracaju?

RL - Sem dúvida! Artista fala a mesma língua e quando selecionei quem eu queria que estivesse presente no projeto, eu sabia o que estava fazendo. São intérpretes que admiro de montão e seres humanos iluminados que me presentearam com suas vozes avalizando a minha obra musical. Já conseguir apoio para realizar um show de lançamento em Aracaju está se mostrando mais difícil que chegar ao outro lado do mundo a pé.


LdD - Quem descobriu quem: a DISCOBERTAS encontrou Rubens ou vice-versa? Qual a estratégia para divulgação do 'Rubens Lisboa por Tantas Vozes'? Planos para gravar DVD?

RL - Após o projeto pronto (gravado, mixado e masterizado), achei que seria a hora de apresentá-lo a algum selo ou gravadora que realmente entendesse a grandiosidade dele. Escolhi a Discobertas porque sou fã do seu proprietário, o pesquisador e produtor musical Marcelo Fróes, um cara que realmente entende de música e ama o seu trabalho. A aceitação foi imediata, o que me deu muita alegria até pelo fato de também ser ele muito bem entrosado e querido no meio artístico. A divulgação dos 3 CDs está sendo feita tanto pela Discobertas como por mim próprio. E tenho contado com a necessária e eficiente ajuda de vários amigos que vêm disseminando esse projeto nas redes sociais, multiplicando assim a notícia sobre seu lançamento. DVD é uma coisa que nunca tive muito vontade de fazer, confesso. Não sei bem o motivo, mas a verdade é que a ideia não me passava pela cabeça. São tantos os pedidos e sugestões a respeito, no entanto, que venho começando a pensar nessa possibilidade. Contudo, é algo muito embrionário ainda... Vamos ver no que vai dar!


LdD - A capa e a arte do disco são da TEASER Propaganda. A concepção é deles ou sua?

RL - É tudo deles, mais especificamente do Rodrigo de Freitas, um profissional de primeira linha com quem venho trabalhando já pela terceira vez. Antes, foi ele o responsável pela arte de meus CDs "Todas as Tribos" e "Arteiro". Fiquei meio espantado quando ele me falou sobre a ideia que terminou se concretizando de forma absolutamente eficiente. Trata-se da imagem de meu rosto formada pelos nomes dos 45 intérpretes presentes no projeto. Depois que ele me mostrou a primeira prova, tive a certeza de que mais uma vez estávamos no caminho certo.


LdD - 'Compartilhar a beleza' é o que move você e por isso promete continuar criando. Do CD "Arteiro" para cá contamos um ano e meio e você nos vem com 3 discos ótimos e, além disso, afirma possuir por volta de 600 canções inéditas. Quanto tempo mais para que as compartilhe conosco? E quando sai o próximo trabalho?

RL - Componho por prazer e por uma necessidade vital. É o que me faz sentir importante neste planeta Terra. É o que dá sentido ao meu existir. Esse reconhecimento todo que vem acontecendo com o "Rubens Lisboa por Tantas Vozes" tem me dado um gás fora do comum. É claro que eu sabia da importância desse projeto, não vou ser hipócrita de dizer que não. Uma coisa que até para mim ainda hoje soa inacreditável, quase como um milagre: um artista do menor Estado do Brasil conseguir fazer em menos de dois anos três CDs contando com 45 nomes da nossa MPB realmente me parece um fato inédito não somente em Sergipe mas também no Brasil! Mas a receptividade que o projeto está alcançando vem superando as minhas expectativas. E o que me dá mais contentamento é ver que as pessoas estão conseguindo entender o meu propósito duplo: divulgar a minha obra e propagar o talento sergipano além fronteiras. Quanto à quantidade de canções que já criei, é fruto de um dom que agradeço diariamente a Deus. E venho compondo muito ultimamente. Muitas ideias, especialmente melodias novas. Espero poder compartilhá-las com o público o mais breve possível, seja na minha voz, seja na voz de outros intérpretes. Quanto ao próximo trabalho, acho que agora deve demorar um tempo razoável. Há uma frase de que gosto muito que diz: "Entre um amor e outro, é aconselhável um tempo para respiração". Estendo isso para o campo musical. Sei que o "Rubens Lisboa por Tantas Vozes" merece ser trabalhado sem pressa e com cuidado pois há muita munição na agulha. Não quero queimar etapas, nem tampouco atropelar nada. No momento certo, daqui talvez a uns dois anos, aí eu faça o CD de blues com que tanto sonho, ou um disco voltado para o universo infantil que é outro desejo antigo, ou ainda um álbum em que eu surja somente como intérprete. São muitos projetos que - tenho certeza - amadurecerão na época certa. E é claro que existe um em especial que guardo secreto que é para ninguém copiar.


LdD - A música já paga as suas contas?

RL - Ainda não, mas espero que em um futuro bem próximo venha a ser a minha principal fonte de renda. Quero fazer muitos shows, quero vender muitos discos, quero que muita gente boa grave minhas canções. É para isso que venho trabalhando e acho que é esse o sonho de todo artista.


LdD - De Elza Soares e Alaíde Costa, passando por Selma Reis e Leila Pinheiro e desembocando em Anna Ratto, Wado, Marcia Castro e outros novos nomes da MPB. O que você pode falar desse encontro de gerações unidos sob sua música?

RL - Que é isso que dá um sabor especial ao projeto. Intérpretes de todas as gerações e vertentes. Canções dos mais diversos gêneros musicais. Arranjos os mais variados. Instrumentistas de ponta mas com as mais variadas influências. E o fato de eles estarem cantando músicas de Rubens Lisboa, acreditando no meu trabalho, me mostra que estou no caminho certo. Quero poder falar indistintamente a todas as gerações. Copiando Caetano Veloso e sem querer soar esnobe: "Muito pra mim é muito pouco!"


===


Feito inédito para artistas de diversos lugares, dar vida a um projeto desse porte é para pessoas com 'sangue no olho'. Lançá-lo em Sergipe, sem apoios ou apadrinhamentos políticos, sem verba de leis de incentivo, é fato para que o cidadão Rubens Lisboa sirva de exemplo para os que reclamam que seus sonhos não ganham asas. Para aprender a voar, às vezes é necessário se jogar no abismo.


ONDE COMPRAR?

Aqui em Aracaju, o box "Rubens Lisboa por Tantas Vozes" já pode ser encontrado pelo módico preço de R$ 30,00 (sim, os três CDs por apenas R$ 30,00!) nos seguintes pontos:

- CD Clube (Avenida Augusto Maynard)
- Coisas Nossas (Avenida Algusto Maynard)
- Casa do Artista (Calçadão da Rua Laranjeiras)
- Casa da Rua da Cultura (Praça Camerino pela Rua Boquim)
- Livraria Escariz do Shopping Jardins
- Livraria Escariz do Shopping Riomar